Hábitos Essenciais Para a Construção da Felicidade

Hábitos Essenciais Para a Construção da Felicidade

construir-felicidade

Desde que o mundo é mundo, a humanidade vive em busca de respostas para a vida, e não seria diferente quando o assunto é felicidade, afinal, se eu te perguntar agora, você tem a resposta para o que seja a felicidade? Você se considera uma pessoa feliz? Será que existe algo que se possa fazer para a construção da felicidade?

Não são raras as pessoas que encontro se queixando de alguma área em suas vidas em que não se consideram felizes, ou consideram que falta muito para que se sintam plenas e satisfeitas.

Foi pensando nisso que resolvi escrever esse artigo, e compartilhar alguns fatos a respeito da felicidade que podem estar passando despercebidos por você nesse momento.

Antes de começar a ler, gostaria que você parasse por alguns segundos e respondesse a uma das perguntas que fiz no começo, respondendo sem muito pensar: afinal, o que é felicidade para você? Você é feliz?

O que não é felicidade

Segundo o dicionário da língua portuguesa, “felicidade é o estado de felicidade” ou “o estado da pessoa feliz”.

O que entendemos, não somente pela definição do dicionário, mas pelo entendimento do que realmente signifique a felicidade, faz com que compreendamos a felicidade como um estado, e não como um sentimento.

Mas, como assim, Salua? Felicidade não é sentimento?

Quando falamos de sentimento, estamos nos referindo a um conjunto de sensações provocadas por determinada circunstância ou estado.

Assim sendo, ao falarmos em felicidade, estamos nos referido a um estado do indivíduo, e é esse estado que irá desencadear um conjunto de sensações e sentimentos de acordo com o que esse estado representa.

Além disso, o estado em que o individuo se encontra está diretamente ligado à forma como ele pensa ou como ele enxerga determinada circunstância, e é juntamente essa forma particular que cada um tem de pensar, que irá definir os seus sentimentos.

Estados de felicidade são individuais.

Com certeza você deve conhecer alguém que tenha algum animalzinho de estimação em casa, que faz loucuras pelo bichinho, em atos de verdadeira paixão, não é mesmo? Agora, com certeza você também deve conhecer alguém que diga: “Odeio ter bichos em casa”.

Consegue perceber a diferença? Uma mesma fonte – no caso o animal – pode provocar em uma pessoa um completo estado de felicidade; para outra, pode provocar verdadeira repulsa. E, por que essa diferença?

Tudo está diretamente relacionado às representações internas de cada indivíduo.  Todos nós possuímos representações internas que são padrões de informação ou imagem que criamos em nossa mente acerca de qualquer coisa.

É por isso que, de acordo com o exemplo que vimos, para uma, o animalzinho muito provavelmente represente amor, cumplicidade, carinho, amizade, boas lembranças – e isso irá provocar o estado de felicidade; já para a outra pessoa, o mesmo animal pode representar coisas completamente diferentes, de repente pode representar indisciplina, sujeira, ou até mesmo provocar algum gatilho de algum trauma vivido na infância.

A felicidade é relativa

Você já reparou que atingir os 100 quilos nos ponteiros da balança, para uns, pode ser o céu, para outros o inferno? Se a pessoa normalmente pesa 70 quilos e começa engordar, subir em uma balança e ver os ponteiros marcarem 100 quilos pode significar sua sentença de morte; se a pessoa pesa 150 quilos e está em um processo de emagrecimento, chegar aos 100 irá fazer com que ela solte rojões.

Assim sendo, nem tudo o que representa felicidade para uns, necessariamente irá representar para outros. Portanto, precisamos entender que cada indivíduo é um ser individual, com seus próprios padrões de comportamento, com suas próprias representações internas.

Portanto, jamais devemos impor felicidade a alguém de acordo com nossas próprias representações. Mas, então, será que felicidade pode ser trabalhada, pode ser construída?

ser-feliz

A construção da felicidade.

Sendo um estado provocado por nossas representações internas, a felicidade pode sim, ser trabalhada e construída na vida de cada um de nós. A partir do momento que entendemos que nosso estado de felicidade não depende do que vem de fora para dentro, mas sim do que temos de dentro para fora, tudo fica muito mais fácil, e atingir estados de felicidade se torna um processo muito mais prazeroso de se conquistar.

Dessa forma, entendemos que se algo está errado e se em alguma área de nossa vida está faltado felicidade, com o simples fato de trabalharmos nossas representações internas isso se torna possível.

Para a construção da felicidade, também se faz necessário um conjunto de hábitos saudáveis que nos conduza a mudanças pontuais e significativas em nossas vidas. Pegue caneta e papel, e anote algumas dicas que vou dar de hábitos saudáveis que você deve passar a desenvolver em favor da construção da felicidade:

1- Mude o foco de sua visão

Tudo aquilo em que colocamos nosso foco se torna maior. Procure tirar o foco das coisas ruins e olhar para aquilo que há de bom, você irá se surpreender.

Por exemplo, há pessoas que ficam extremamente irritadas toda vez que chegam em casa as faturas de cartão de crédito e as contas para pagar. Se essa mesma pessoa tirasse o foco das contas e olhasse para o fato de que ela só é capaz de pagar cada uma daquelas contas por ter um emprego que lhe permita tê-las, com certeza, em vez de se queixar, ela agradeceria por cada uma das contas que ela é capaz de pagar – isso é um estado de felicidade.

2- Mude suas representações internas

Se existe algo em sua vida que realmente cause algum tipo de dissabor, ou mesmo algo que lhe represente infelicidade, está na hora de tentar mudar as representações internas que você tem com relação a isso.

Tente descobrir, lá no passado, o que pode ter desencadeado algum tipo de representação negativa para o momento que está vivendo. Encontre a raiz do problema e, com isso, será muito mais fácil reprogramar a forma como você enxerga determinada circunstâncias.

3- Alimente sua mente com coisas saudáveis e positivas

Você já viu aquela pessoa que passa o dia ouvindo notícias de desgraça, se alimentando das estatísticas de assalto, de casos de morte e destruição? Como essa pessoa se comporta ao sair na rua?

Ela está com a mente tão cheia de desgraças, que ela vai andar na rua achando que está sendo perseguida até por sua sombra.

Experimente alimentar sua mente com coisas boas e agradáveis, dessa forma, você enxergará sua vida e seu cotidiano com um olhar muito mais otimista e menos perturbador.

4- Ande com pessoas positivas

Assim como a dica anterior, da mesma forma que deve fugir da convivência exagerada com notícias ruins, você também deve tirar de sua vida a companhia de pessoas negativas, que sempre te colocam para baixo, ou mesmo aquelas pessoas a quem nada nunca está bom.

Procure andar e conviver com pessoas positivas, que sempre tenham palavras de vida em sua boca. Se você fizer isso, em poucos dias irá perceber como a vida terá novas cores aos seus olhos.

Acima de tudo, lembre-se: a sua felicidade depende só de você mesmo e da forma como você enxerga a vida. Enxergue a vida com olhos sadios, e a vida estará sorrindo para você; enxergue a vida com olhos doentes, e a vida lhe será amarga e cruel.

Cuidar de seus olhos é, com certeza, a melhor forma da construção da felicidade!

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *