Não faça a criança engolir o choro – Autoestima vem da infância

choro-infantil-timidez

Não faça a criança engolir o choro – Autoestima vem da infância. Você está acostumada a engolir seu choro?

Como você age diante das adversidades que surgem à sua frente, você as enfrenta ou se segura? Você se sente reprimida diante dos desafios?

Quantas vezes, em sua infância, você provavelmente teve que engolir o choro?

O que significa engolir o choro?

É na infância que nossas bases são formadas, de maneira que o que somos hoje, em boa parte, é resultado da forma como fomos condicionadas enquanto crianças. Você já percebeu a quantidade de “nãos” que a criança ouve desde o momento do seu nascimento?

Quando adultos, nós podemos nos comunicar com as pessoas através de palavras, gestos, olhares e tantas outras formas, porém, quando criança, uma das maneiras de nos comunicarmos é através do choro.

A criança é muito espontânea, ela não tem filtros. Enquanto nós, adultas, muitas vezes pensamos antes de falar ou demonstrar qualquer coisa, a criança, sem filtro algum, é capaz de demonstrar, em uma explosão de choro, aquilo que está ruim, ou numa explosão de felicidade, quando algo lhe foi bem.

Precisamos saber interpretar a linguagem infantil, e termos entendimento de que, no momento que a criança está chorando, ela está transmitindo uma mensagem de que algo, de alguma forma, lhe soou negativo.

O que a maioria dos pais fazem, diante da criança chorando, é simplesmente manda-la parar de chorar: “fica quieto”, “engole o choro”, “deixa de ser fraco”, “homens não choram”, e assim por diante.

O que muitos pais não sabem, no entanto, é que o grande perigo desse tipo de atitude é a forma como eles estão condicionando seus filhos e interferindo – negativamente – naquilo que essa criança vai se tornar quando adulta.

Engolir o choro é um gesto que representa reprimir ou guardar para si tudo aquilo que, de alguma forma, ele buscava colocar para fora. Engolir o choro na infância, portanto, pode levar a criança a acostumar-se a reprimir todos os seus sentimentos na fase adulta.

Nossa mente inconsciente é muito poderosa, e tudo aquilo a que é condicionada, ela irá responder.

Dessa forma, lembre-se que aquilo a que você condiciona a criança, ela irá responder durante toda a sua vida na fase adulta, como forma de resposta de todas as informações que seu inconsciente por tanto tempo recebeu.

As consequências de sufocar o choro

Como eu já disse, ao condicionar uma criança a sufocar o choro, estamos na verdade, impedindo que essa criança se comunique da única forma que ela sabe se comunicar quando quer dizer que algo está ruim.

Ao condicionar essa criança, ela vai crescer acostumada a guardar para si tudo aquilo que lhe trouxe desconforto, com grande tendência a tornar-se um adulto reprimido e com sentimentos sufocados.

Precisamos entender que é no choro da criança que ela está extravasando seus sentimentos e transmitindo uma mensagem que pode ser muito importante.

Claro que existe uma grande diferença entre o choro verdadeiro e o choro por birra, mas o foco desse artigo é aprendermos a compreender que por trás do choro da criança, muitas mensagens estão sendo enviadas.

Você já ouviu alguém falar a frase: “chorar é libertador”? Pois existe uma grande verdade nisso, uma vez que estamos colocando para fora, através do choro, tudo aquilo que nos faz mal.

Sufocar esse tipo de sentimento só irá trazer amargura e opressão, portanto, mandar uma criança engolir o choro pode ser fatal em sua vida adulta.

Somos um ímã que atrai tudo

Todos nós, seres humanos, somos como um verdadeiro ímã que atraímos tudo aquilo que está à nossa volta. Todos nós somos assim, sem exceção. Sabe o que isso significa? Que vamos devolver ao universo tudo aquilo que estamos acostumados a receber.

Dessa forma, se só atraímos coisas negativas, só poderemos devolver coisas negativas. Por outro lado, se estamos acostumadas a atrair coisas positivas, seremos uma fonte de positividade.

O problema, no entanto, não é apenas atrair coisas ruins, mas sim, guardar todas as coisas ruins que chegam até nós.

Porém, todas nós temos total autonomia sobre tudo a quilo o que atraímos, de forma que o que entra em nossa vida, só entra com nossa permissão. É claro que não podemos mudar o que está à nossa volta, mas temos total poder sobre tudo o que atraímos – e guardamos.

Se você é do tipo de pessoa que está acostumada a se reprimir, existe uma grande possibilidade de estar guardando todas as coisas ruins que recebe, de forma a acumulá-las até chegar um ponto de tornar-se uma pessoa doente e pesada.

Por esse motivo é tão importante a gente aprender a não sufocar nenhum tipo de sentimento. Precisamos ter a habilidade de colocar para fora tudo aquilo de negativo que recebemos.

timidez-e-choro

Um vulcão em erupção.

Você conhece aquele tipo de pessoa que nunca fala nada, mas vai guardando tudo o que ouve, até chegar uma hora que joga tudo para fora? Esse é o tipo de pessoa que parece um “vulcão em erupção”, que sofre por guardar tudo que é de ruim que ouve ou o que acontece, no entanto, não coloca nada para fora.

Esse tipo de pessoa tem o costume de reter para si tudo aquilo que é ruim, deixando ali guardado, sendo fomentado e se tornando cada vez maior.

O grande problema dessas pessoas, é que por muito guardar tudo que é ruim, acabam se tornando pessoas doentes e amarguradas, pois não conseguem expulsar as coisas ruins na hora que recebem, e acabam se tornando um depósito de coisas negativas.

Você já ouviu a expressão: “Mas não era para tanto!”? Imagina que você seja esse tipo de pessoa que vai guardando, guardando, guardando tudo para si, sem conseguir jogar nada para fora.

É como um copo d’água que vai se enchendo gota a gota – isso me lembra muito a expressão “essa era a gota d’água que faltava para transbordar o copo”.

Enfim, um belo dia, seu marido chega em casa e deixa o sapato fora do lugar, quando de repente é “atacado” por uma chuva de gritos, sem entender o porquê.

A verdade, é que provavelmente aquele sapato foi apenas um detalhe que faltava para você, um vulcão em erupção, explodir jorrando para fora tudo o que estava ali, guardado por semanas, meses, e até mesmo anos.

É por muito guardar que muitas vezes desabamos e despejamos nossas frustrações em cima de alguém que, muitas vezes, nem entende o que está acontecendo, ou seja, descontamos tudo em alguém sem que ela saiba por que está sendo bombardeada.

Esse é o motivo de muitos casos de brigas.

Você já passou por isso? Será que muitos desentendimentos que você já teve em sua vida, seja em casa ou no trabalho, será que não foram provocados por excesso de coisas guardadas? Será que muita coisa poderia ter sido evitada, se você não se permitisse ser um vulcão em erupção?

engolir-o-choro

Aprendendo a colocar tudo para fora

Você pode até ser o tipo de pessoa que foi acostumada a sufocar sentimentos, mas isso não significa que esteja sentenciada a isso para o resto de sua vida. Se você, seja qual for o motivo, é do tipo de pessoa que se reprime diante das circunstâncias, eu tenho uma ótima notícia para você: essa condição pode ser mudada quando você quiser. Só depende de você.

Como eu já falei, nós somos o resultado de tudo aquilo a que nosso inconsciente foi condicionado em algum período de nossa vida. No entanto, existem muitas formas de você recondicionar sua maneira de pensar ou agir, e a isso chamamos de reprogramação.

Se você está acostumada a engolir o choro, ou seja, se você está acostumada a guardar todos os sentimentos ruins que recebe, saiba que só depende de você começar uma mudança que irá significar muito em sua vida.

A partir do momento que você começar a colocar para fora tudo aquilo que te faz mal, esse processo representará o rompimento de muitos paradigmas  e lhe proporcionarão uma verdadeira libertação.

Além disso, fica o meu conselho para você que é mãe ou que trabalha com os pequenos: jamais conduza a criança a sufocar o choro. Lembre-se que isso pode ser fatal em sua fase adulta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *